Olá!

Seja bem vindo a este blog.
A escola Professor Galvão espera que sua passagem por aqui seja satisfatória e proveitosa.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

IX Feira Pedagógica, Científica e Cultural!

scola Estadual de Ensino Médio Professor Galvão e Anexos. IX Feira Pedagógica, Científica e Cultural Tema - Pará: Terra de belezas, cores e amores – É Pai D’ Égua A feira Pedagógica, cientiífica e Cultural, ocorreu no último dia 12/11/2009, na escola Galvão, com apresentação de vários projetos, e teve seu termino com uma belissima, noite cultural que contou com apresentação de várias danças, do coral e das candidatas a rainha. Veja abaixo a ordem de classificação dos Projetos e, em seguida, os videos de Fotos com os melhores momentos da feira e da noite cultura. Projetos: PROJETO FÍSICA/QUÍMICA DIVERTIDA: BRINCANDO E APRENDENDO ORIENTADORES: Raimundo Cosmo, Valdinei Borges e Von Ranzeras. PROJETO REEDUCAÇÃO , REAPROVEITAMENTO E RECICLAGEM: UMA SAÍDA PARA O LIXO NO MUNICÍPIO DE AUGUSTO CORRÊA. ORIENTADORES: Marcus Vinícius Cunha Oliveira e Maria Romana Gonçalves Reis. PROJETO “CONHECENDO O DESCONHECIDO DA CULTURA PARAENSE” ORIENTADORES: José Rubens de Brito Filho e Maria Nazaré Brito Teixeira. DO PROJETO CURICACA À FEIRA DA CULTURA: A HISTÓRIA DO MAIOR EVENTO CULTURAL DE URUMAJÓ. ORIENTADORES: Alcides Lúcio Ribeiro Júnior e Nilton César Vieira Costa A OCUPAÇÃO DA AMAZÔNIA: PERDA DA BELEZA, DE SUAS CORES EA LUTA DE QUEM A AMA. ORIENTADOR: Alan Navarro. A CULTURA DA MANDIOCA PARAENSE. ORIENTADORES: João Bosco e José Carlos Luz Santana EDUCAÇÃO AMBIENTAL. ORIENTADOR: Ádria Macedo LENDAS VIVAS ORIENTADOR: Luiz Claúdio Martins Reis JORNAL GALVÃO E AS BELEZAS DO ESTADO DO PARÁ ORIENTADORES: Paula Rocha e Alessandra Carvalho “DA ÚLTIMA FLOR DO LÁCIO À CASTANHA DO PARÁ”: Uma Língua em Transformação. ORIENTADORES: Almerindo Sousa Filho e Marinalva Santiago de Azevedo DIA A DIA COM A CIÊNCIA NO PARÁ ORIENTADORES: Paula Rocha e Alessandra Carvalho "TABAGISMO" – FUMANTES, EX-FUMANTES E NÃO FUMANTES: QUEM PAGA O PREÇO?. ORIETADORES: José Maria Vieira Júnior e Martha Freitas
video

sábado, 14 de novembro de 2009

População luta por direitos em Bragança!

Aconteceu na última sexta feira (13/11/2009), moradores de Bragança e Augusto Corrêa, montaram piquete na cabeçeira da ponte do Sapucaia em Bragança-PA. Cansados de promessas e de tanta poeira, que a população precisa enfrentar todos os dias para conseguir chegar ao trabalho, os moradores atearam fogo em pneus e cortaram uma parte da estrada Bragança-Viseu (BR 308), na altura da ponte, impedindo assim o tráfego de veículos por um dia no local. Desta forma, mostraram que a população não está satisfeita com os anúncios falsos, que dizem que um certo deputado recuperou a mencionada estrada. Enquanto que na verdade, ela continua em péssimas condições de tráfego. O que preocupa, perturba e prejudica a vida de quem precisa enfrentá-la todos os dias. É um absurdo, uma viagem de 18 Km, que demorava cerca de 20 minutos de ônibus, hoje levar aproximadamente 1 hs para terminar. Portanto, a reivindicação dos moradores, é por melhores condições de vida e de trabalho, mas acima de tudo é em busca de respeito; respeito pelos cidadão que querendo ou não são obrigados a pagar impostos todos os dias, o que deveria lhes assegurar todas as condições necessárias, de saúde, moradia, segurança, trabalho e educação.
video

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

*Lenda do Mês*

*Lenda Da Mandioca*

Mani era diferente. Tinha a pele clara, lindos e longos cabelos e sempre um
sorriso no rosto a iluminar os passantes, como a aura da manhã!
Um dia a menina amanheceu doente. Toda a tribo se pôs em alvoroço. Fizeram
de tudo para salvar sua linda descendente.
Porém, nem a pagelança, Nem os segredos da mata virgem, nem as águas
profundas, nem a banha de animais raros; puderam evitar-lhe a morte.
Os índios enterraram o corpo de Mani debaixo de uma árvore. E quando fez um
ano, foram levar-lhe flores e ainda rezar por ela.
Eles ficaram surpresos, havia crescido em sua sepultura alguns arbustos
diferentes. Eles eram fortes e vigorosos.
Os índios arrancaram um arbusto e viram suas raízes grossas e brancas como
as carnes de Mani. Então eles a comeram, dizendo que era a carne de Mani.
Assim ficou conhecida como manioca ou mandioca.

*Fala Pará*


Está postagem tem um intuito de mostrar um pouco de como o Paraense fala. Então vejamos Algumas palavras do Dialeto Paraense.

ÉGUA: vírgula do paraense, usada entre mil de mil frases ditas, e com essa expressão, ele não tem a menor chance de errar nas concordâncias...

LEVOU O FARELO! - se deu mau!

PITIÚ - cheiro de característico de peixe, vc consegue sentí-lo com maior intensidade no VER-O-PESO, cheiro de ovo também é pitiú.

SÓ-TE-DIGO-VAI! - expressão usada pelas Mães pra chamar a atenção dos filhos maluvidos, quando não as obedecem!

TE ACOCA - te abaixa.

MUITO PALHA! - muito ruim!

TUÍRA - pó da pele de quem não toma banho direito! rsrs (essa é boa!).

MAIS-COMO-ENTÃO? - "me explique por favor!"

BORA LOGO! - se apresse!

BORIMBORA! - vamos embora

"MAS QUANDO!" - "você está mentindo!".

"EU CHOOORO!!!"- significa " não tô nem aí pra tí!, te vira!, dá teu jeito!".

"OLHA QUE O PAU TE ACHA!" - toma cuidado!.

FILHO DUMA EGUA - filho da mãe;

E-GU-Á - Poxa vida!!!

PAI D'EGUA: - Excelente

MAS CREDO - sai fora

OLHA JÁ - eh mentira!!

JÁ ME VÚ - tchau

ÊÊÊ...-- quando algo que se conta é mentira

ERAS -- o Eras acompanha tbm td esses sinonimos

TU ALOPRAS -- vc "apela"

HUM TÁ, CHEIROSO! -- hahah eu adoro essa expressão.... "hum...ta bom gatinho, ta bom lindo, ta bom bonito.."é uma forma de ironia, tipo "conta outra!".

PUTISTANGA - sinonimo de "É-GU-A" que quer dizer: poxa vida!!!

UUUULHA - expressão usada por nossas criancas q do querem se referir a algo.

ASSANHADO - Para nossos amigos sulistas, essa esse adjetivo não quer dizer "ENXERIDO", e sim, seu cabelo está bagaunçado!!

DIACHO - Expressão de desapontamento;

DESPOMBALECIDO - Estado de moleza e cansaço. 2. enfermidade;

MERDA N´ÁGUA! - é o famoso "maria vai com as outras".

CARAPANÃ - pernilongo, mosquito, borrachudo.

PÔ-PÔ-PÔ - embarcação típica composta por um a canoa coberta, movida a
motor de 2 tempos na pôpa.

CALANGO ou OSGA - lagartixa (de chão).

BAITA - Algo legal, bacana.

ARREDA AÍ -- afasta aiii

JÁ ESTÁS NO TEU MOMENTO -- qndo alguem faz algo q chame atenção, ou dá em cima de outra pessoa... ai usam isso!!!

DERRUBAR == cagoetar, entregar

JÁ VALE??? == qndo alguem faz algo q a outra pessoa nao gosta, por ex: já valeeee me derrubar???

MAS QUANDO! == nao se refere a data e sim a pessoa dizendo "não" por
ex: vc vai ao show hj?? mas qndo, estou sem dinheiro

ESMIGALHAR - amassar, desmanchar

ESBANDALHAR - quebrar

RALHAR - brigar

DIZ QUE... - uma interjeição de ironia

COQUE - um leve soco com a falange dos dedos na cabeça da criança peralta

PAPUDINHO - cachaceiro

CHIBÉ = mingau de farinha cuí = farinha fina, também significa aquelas
sujeirinhas de moleque.

PAPA-CHIBÉ: paraense autêntico, aquele que não troca seu pirão de água com farinha com umas boas cabeças de camarão.

Entre outros veja mais em: http://forum.brfoto.com.br/index.php?showtopic=26128

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Culinária Paraense



A Culinária do Pará apresenta como sua maior influência a cultura indígena e, um pouco da portuguesa e africana. Os ingredientes básicos são oriundos da exuberante natureza da Amazônia, como camarão, caranguejo, marisco, peixe, aves, caça, pato, todos temperados com folhas (maniva, chicória, coentro), pimentas de cheiro e ervas. São cozidos em panelas de barro ou assados em moquéns e embebidos de tucupi.
A mandioca é a base da alimentação do paraense, sua utilização é muito vasta e abrangente. Por ser muito nutritiva, a macaxeira cozida substitui tubérculos, cereais e o trigo. Na doceria é um ingrediente de notável sabor em pudins, bolos, e mingaus.
Das farinhas retiradas da mandioca, a mais apreciada é a farinha d'água. Antigamente, a farinha d'água equivaleria a um pão de trigo; a farinha seca a uma broa; com a carimã faria-se mingaus e, com a tapioca, faria-se beijus. Hoje, infelizmente, o beiju restringem-se à mesa nativa, mesmo no Ver-o-Peso é raro e difícil encontrarem-se beijus.
Há também o tucupi, caldo amarelo extraído da mandioca, que não dá para descrever seu maravilhoso sabor sem prová-lo, seja acompanhando carne, peixe, mariscos ou puro, quente-quase fervendo, com ou sem jambu. E, sem esquecar, a iguaria do Estado, o Pato no tucupi.
Inicialmente, a mandioca e seus derivados era apenas consumida pelos pobre e pelos índios, mas com o passar do tempo, tornou-se ingrediente indispensável na mesa dos ricos também

A cultura Paraense


A cultura do nosso estado é muito diversa e possui características próprias. Quem não conhece o jeitinho paraense que chama atenção na forma de falar ( égua!!!, vixii, pai d'égua ), jeitinho de dançar o carimbó, siriá, brega, lundu, marujada? Precisa conhecer as riquezas da terra: as frutas regionais, culinária, pontos turísticos, onde você encontra as mais bonitas obras arquitetônicas na capital e praias paradizíacas nos municípios, as lendas assustadoras, cerâmicas marajoaras inspiradas nos índios é outra tradição da terra.


Visitar o Pará é descobrir todos esses segredos. Receber o carinho e a hospitalidade do povo, saborear seus pratos e não resistir a seus ritmos.

Vídeos Interessantes!

Loading...